Geografia: Entenda o derretimento das calotas polares

O derretimento das calotas polares tem se tornado um evento recorrente no mundo, sobretudo nas últimas décadas, pois está conectado diretamente com o Aquecimento Global.
Para se ter uma ideia o fenômeno já pode ser percebido visualmente, pois diversos icebergs gigantescos formam-se por conta do derretimento das calotas polares.
O assunto poderá aparecer em provas de vestibulares de todo país, assim como no Enem. Por isso vale a pena ficar ligado no assunto, acompanhe!
Derretimento das calotas polares: Principal fator
Segundo especialistas do clima o aumento da temperatura do planeta, influenciado pela emissão de gases poluentes, tem sido primordial para o derretimento das calotas polares.
Desse modo, esse fator tem exercido diretamente papel nas mudanças climáticas provocadas pelo efeito estufa e o seu consequente aquecimento global.

 

Dessa maneira, o tema tem entrado em discussões entre governantes das maiores potências do mundo e organizações ambientais.
No entanto, algumas nações seguem sem acreditar nos protocolos propostos pelas organizações, com o intuito de baixar as emissões de gases poluentes na atmosfera.
Consequências
Uma das principais consequências do derretimento das calotas polares é o aumento dos níveis dos oceanos. Inclusive se o fenômeno continuar aumentando pode ocasionar o desaparecimento de algumas cidades litorâneas.
Além disso, o derretimento das geleiras pode impactar severamente na temperatura do planeta, causando diversos problemas e desequilibrando o meio-ambiente.
A saber, o glaciar da Ilha de Pine na Antártida é a geleira que está se derretendo mais rapidamente. Segundo pesquisadores, ela perde cerca de 15 cm de altura por ano.
O que pode ser feito?
A maioria dos cientistas colocam o aumento dos gases do Efeito Estufa que corroboram diretamente para o Aquecimento Global como o principal vilão para o derretimento das calotas polares.
Algumas das medidas deverão amenizar o avanço avassalador do Aquecimento global, veja:
Investir em fontes de energia limpas como a solar
Apostar no reflorestamento tendo em mente que a fotossíntese é capaz de retirar CO2 da atmosfera
Utilizar produtos biodegradáveis
Promover a coleta seletiva do lixo
Reciclagem
Evitar utilizar o automóvel para percursos curtos
Por esses motivos, autoridades do mundo inteiro criaram protocolos a serem seguidos pelos países que mais contribuem para o aumento do efeito estufa.
Podemos destacar o Protocolo de Kyoto e o Acordo de Paris, fundamentais para diminuir os níveis de gases poluentes.

Fonte: Noticias Concursos